Pular para o conteúdo

Um homem foi morto na tarde de ontem(9), após realizar assalto na Farmácia Extrafarma, que fica localizada na estrada de Ribamar, próximo ao Maiobão.
Segundo informações de transeuntes, o bandido após praticar o crime, imprimiu fuga em uma moto e foi perseguido por uma viatura da polícia, em determinado momento o meliante acabou perdendo a direção da motocicleta e colidiu a um poste, e o mesmo veio a óbito no local devido o forte impacto.
Esse é o fim daqueles que buscam se favorecer no mundo do crime.

Em razão de uma dívida de R$ 8 milhões contraída pela Prefeitura de Cedral com a Companhia Energética do Estado do Maranhão (Cemar), o Ministério Público do Maranhão (MPMA) propôs, em 22 de fevereiro, Ação Civil Público por ato de improbidade administrativa contra o atual prefeito Jadson Passinho Gonçalves. A manifestação foi formulada pelo promotor de justiça Ariano Tércio Silva de Aguiar.

Na ACP, a Promotoria de Justiça da Comarca de Cedral pede à Justiça que determine a indisponibilidade dos bens do prefeito e também o ressarcimento ao erário municipal do valor de R$ 2.612.661,47, acrescido de juros, multas e correção monetária. A quantia corresponde aos juros, multas e correção monetária acumulados no período de 2009 a 2012, quando Jadson Passinho Gonçalves cumpriu um de seus mandatos como prefeito da cidade.

Consta nos autos que o endividamento começou no ano de 2004, quando o atual prefeito também estava à frente da administração municipal. Na época, o Município ajuizou ação questionando os valores cobrados pela Cemar. A Justiça determinou, em caráter liminar, que a companhia não cortasse a energia, enquanto não tivesse uma definição sobre a legalidade do valor das faturas.

Após a decisão, a administração passou a não pagar mais as cobranças de energia. No entanto, a liminar impedia somente o corte de energia. Mas o Município continuou com a obrigação de pagar os débitos de energia.

Na ação, o promotor de justiça Ariano Tércio de Aguiar enfatiza que o Município, por meio do prefeito, não teve compromisso com o pagamento dos débitos, acarretando prejuízos ao desempenho dos servidores municipais e à população, já que todos os prédios da administração pública de Cedral, incluindo a sede da prefeitura, estão sem energia há meses.

O representante do MPMA também destaca que compete ao gestor municipal, na condição de ordenador de despesas, pagar as dívidas do município, que devem estar previstas na lei orçamentária. “A conduta do demandado além de violar a Lei de Responsabilidade Fiscal, acarreta flagrante prejuízo ao erário, configurando ato de improbidade administrativa”, afirma.

Outra observação do promotor de justiça refere-se ao exorbitante valor gerado pelo acúmulo de juros, multas e correção monetária, que não existiria se as faturas tivessem sido pagas desde o início ou durante um dos mandatos cumpridos por Jadson Passinho Gonçalves.

PEDIDOS

Na ação, o MPMA requer, ainda, a condenação do réu de acordo com a Lei n 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa), que prevê, entre outras sanções, perda da função pública, suspensão de direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

O prefeito de Paço do Lumiar-MA, Domingos Dutra, hostilizou o presidente do Sampaio Corrêa Sérgio Frota, o motivo aparente do gestor constranger o chefão da bolivia querida, seria a derrota do time para o Internacional (RS), jogo este que aconteceu na noite de ontem(8), no Estádio Castelão.

O vídeo exibido abaixo, mostra torcedores que estavam próximos a Dutra,  aproveitando o momento para criticar o time boliviano a seu presidente. Mais um torcedor desmascarou o "Futi", dizendo: "Dutra tu é motense".

O prefeito mesmo ouvindo a verdade que ele seria torcedor do Moto, não tomou conhecimento e apontando o dedo ao presidente do Sampaio, continuou. A pergunta que fica no ar, o "Futi" estaria mamado? (veja o copo da danada da cachaça na mão de Dutra), ou aproveitou o momento para destilar seu veneno contra Sérgio Frota?

Teve caso de torcedor se virar contra Dutra e falar das merdas que sua administração vem fazendo.

Veja o vídeo abaixo:

Deputado Marco Aurélio sob suspeita de favorecer linha dos ônibus da MOB
Uma gravíssima denúncia envolvendo o deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB), a Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB) e o chefe do órgão, engenheiro José Artur Cabral Marques.
A denúncia trata de uma suspeita de balcão de negócio na MOB.
Marco Aurélio, juntamente com o aval de Artur Cabral, estaria favorecendo duas empresas, a Zanchettur e FLS Transporte, para conseguir linhas com a autorização da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana.
De acordo com a denúncia, o parlamentar estaria sendo beneficiado com cada autorização que consegue na MOB. Há forte suspeita de propina.
A empresa Zanchettur, para se ter ideia, já conseguiu duas linhas na região do Sul do Maranhão, (uma delas é de Imperatriz a João Lisboa) onde Marco Aurélio concentra sua maior base eleitoral.
Procurados pela reportagem, alguns empresários do setor de transporte confirmaram a denúncia. Disseram que o “balcão de negócio na MOB está rolando solto e de forma descarada, prejudicando vários empresários”.
Não é a primeira vez que o deputado estadual Marco Aurélio é envolvido nesse tipo de escândalo. Em abril do ano passado, o parlamentar foi gravado falando sobre um obra do Estado para se beneficiar durante as eleições de 2016, em que ensaio uma candidatura à Prefeitura de Imperatriz, mas acabou desistindo de ser candidato.
Na conversa, Marco Aurélio fala sobre o encontro com o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, e diz: “se [a obra] for licitar vai [demorar] mais 60 dias. Aí não vai servir pra nós politicamente. Aí não vai mais servir. Vai inaugurar depois da eleição entendeu? E pra nós o grande trunfo é inaugurar antes da campanha”.
Apesar da repercussão do caso, na época, nunca foi tomado nenhuma providência por parte das autoridades competentes em denunciar ou investigar o deputado. Relembre o caso aqui.
Fonte: Andre Imprensa

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) protocolou nesta terça-feira (07), Indicação solicitando ao governador Flávio Dino a pavimentação asfáltica da rodovia MA-008, no trecho que liga os municípios de Vitorino Freire a Paulo Ramos. A solicitação será encaminhada por meio do secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, para que execute a obra com a maior brevidade possível.

O trecho tem aproximadamente 20 km de extensão e interliga os dois municípios, beneficiando a população local por meio do desenvolvimento e da geração de renda. A estrada vicinal existente está praticamente intrafegável, dificultando o acesso de veículos e de pessoas.

Temos percorrido o Maranhão inteiro, de norte a sul, e percebido a necessidade e a importância de estradas que permitam o acesso aos municípios do interior. A pavimentação desse trecho consolidará a economia local, elidindo, em consequência, a dificuldade de acesso a essa região, em razão da inexistência de uma via adequada para o trânsito de veículos e de pessoas”, justificou.

O parlamentar também solicitou, por meio de outra Indicação, celeridade na conclusão da rodovia MA-312, no trecho entre os municípios de Araioses a Água Doce do Maranhão. São cerca de 39 km de extensão, passando pelo povoado Carnaubeiras, na chamada rota do caranguejo, beneficiando a população local, gerando renda e avanços para a região.

A estrada integrará os municípios a outros povoados, como Montividi e Coqueiro, diminuindo a distância, facilitando a logística e melhorando a acessibilidade. A obra está paralisada desde abril de 2016 e o trecho intrafegável desde a saída de Carnaubeiras, passando pelo povoado de Curva Grande, no município de Araioses, até a chegada a Água Doce.

A situação é crítica. Valas e grandes buracos durante toda a extensão, agravados durante os períodos de chuva, culminando em atolamentos para quem tenta trafegar e atrasando o crescimento de toda uma região”, lamentou Júnior Verde.

A cada hora, 503 mulheres sofreram algum tipo de agressão física em 2016, segundo pesquisa do instituto Datafolha encomendada pelo Fórum de Segurança Pública. O estudo, divulgado hoje (8), foi feito com entrevistas presenciais em 130 municípios brasileiros. No total, foram 4,4 milhões de mulheres, 9% da população acima de 16 anos, que relataram ter sido vítimas de socos, chutes, empurrões ou outra forma de violência.
As agressões verbais e morais, como xingamentos e humilhações, atingiram 22% da população feminina. Ao longo do ano passado, 29% das mulheres passaram por algum tipo de violência, física ou moral. Entre as pretas (expressão usada pelo IBGE), o índice sobe para 32,5% e chega a 45% entre as jovens (de 16 a 24 anos).
Foram vítimas de ameaças com armas de fogo ou com facas 4% - 1,9 milhão de mulheres. Espancamentos e estrangulamentos vitimaram 3%, o que representa 1,4 milhão de mulheres, enquanto 257 mil, 1% do total, chegaram a ser baleadas.
A cada três brasileiros, incluídos homens e mulheres, dois presenciaram algum tipo de agressão a mulheres em 2016, desde violência física direta, a assédio, ameaças e humilhações. O percentual é de 73% entre as pessoas pretas e 60% entre as brancas.
Companheiros e conhecidos
A maior parte dos agressores, segundo os relatos das mulheres, era conhecida (61%). Os cônjugues, namorados e companheiros aparecem como responsáveis em 19% dos casos. Os ex-companheiros representam 16% dos agressores. A própria casa das vítimas recebeu o maior percentual de citações como local da violência (43%). Entre as mulheres entre 35 e 44 anos, 38% das agressões partiram dos namorados ou cônjugues.
Sobre as reações após a violência, 52% disseram não ter feito nada após a agressão, 13% procuraram ajuda da família, 12% buscaram apoio de amigos e 11% foram a uma delegacia da mulher. Entre as mais jovens (16 a 24 anos), o índice das que não fizeram nada após a agressão é de 59%.
O assédio atingiu 40% das mulheres no último ano. Entre as mais jovens (16 a 24 anos), o percentual chega a 70%, sendo que 68% ouviram comentários desrespeitosos quando estavam na rua. O índice é de 52% entre a população feminina entre 25 e 34 anos. Nesse grupo, 47% foram assediados na rua, 19% no ambiente de trabalho e 15% no transporte público.

O prazo de adesão aos Jogos Escolares Maranhenses (JEMs) deste ano encerra na próxima semana. Escolas e municípios do estado têm até às 19h do dia 17 de março para entregarem o termo de adesão na Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sedel) ou enviar o documento via e-mail.

Como forma de agilizar o processo de adesão aos jogos escolares e beneficiar os municípios localizados no interior do estado, a Sedel está recebendo o termo de adesão aos JEMs via internet. Para isso, o município deve encaminhar o documento devidamente preenchido e assinado para o e-mail da Superintendência de Articulação com os Municípios e Entidades da Sedel (same.sedel@hotmail.com).

Além do termo de adesão, também, estão disponíveis na página da Sedel (www.esporteelazer.ma.gov.br) o regulamento e o calendário oficial da 45ª edição dos JEMs. Até o dia 17 de março serão recebidas propostas para sediar as etapas regionais dos JEMs 2017. A proposta do Governo do Estado é elevar significativamente a participação dos municípios nos jogos, além de melhorar as condições de alojamento e alimentação dos estudantes.

Calendário

A primeira seletiva dos JEMs ocorrerá entre abril e junho, com as disputas das etapas municipais. Em seguida, serão realizadas as etapas regionais e metropolitanas, em julho. A etapa estadual dos JEMs 2017 será realizada entre os dias 12 de agosto e 20 de outubro, em São Luís, com disputas nas categorias infantil (12 a 14 anos) e infanto (15 a 17 anos). As Paraolimpíadas Escolares (ParaJEMs) serão realizadas de 12 a 18 de agosto. Mais informações sobre os jogos podem ser obtidas na Secretaria Geral dos JEMs, no telefone (98) 2109-5939.

 

Fonte: suacidade.com

Município e empresas entram em acordo sobre dívidas em aberto e garantem a continuidade dos serviços

Em reunião na manhã desta terça-feira, 7, da qual participaram representantes do Ministério Público do Maranhão, do Município de Imperatriz e da empresa Síntese Comercial Hospitalar Ltda, ficou garantida a continuação do fornecimento de órteses, próteses e materiais especiais para pacientes do SUS. A medida irá assegurar a continuidade da realização das cirurgias nas áreas de ortopedia, neurologia e bucomaxilo facial, no Hospital Municipal de Imperatriz.

 A reunião foi realizada após intervenção do titular da Promotoria de Justiça Especializada em Saúde de Imperatriz, Newton Bello Neto, devido ao risco de paralisação da realização das cirurgias de ortopedia, neurologia e bucomaxilo facial, em virtude da interrupção no fornecimento de órteses, próteses e materiais especiais.

 A empresa ameaçou parar de fornecer os materiais, que são necessários para a realização de diversos procedimentos cirúrgicos nas referidas áreas, na rede municipal de saúde. A dívida do município com a empresa soma o valor de R$ 488.553,84, referentes aos meses de janeiro a dezembro de 2016.

 O município e o representante da empresa entraram em acordo e garantiram a continuação do fornecimento de órteses, próteses e materiais.

 CIRURGIAS PEDIÁTRICAS

Ainda nesta terça-feira, o promotor de justiça Newton Bello Neto realizou reunião de trabalho com representantes do município e da empresa Cipimp - Cirurgia Pediátrica de Imperatriz, responsável por realizar cirurgias pediátricas no Hospital Municipal de Imperatriz. Durante a reunião, ficou assegurada a continuidade da realização de processos cirúrgicos nas crianças atendidas no estabelecimento.

 A ameaça de suspensão das cirurgias pediátricas se deveu ao fato de o município ter uma dívida de aproximadamente R$100 mil, referente ao período de outubro a novembro de 2016.

 Após o promotor de justiça exigir que as cirurgias pediátricas fossem mantidas, evitando qualquer paralisação ou diminuição no atendimento, os representantes do município e da empresa também entraram em acordo, garantindo a continuação dos serviços de saúde.

 PAGAMENTO DAS DÍVIDAS

O prefeito Assis Ramos garantiu o pagamento das despesas de janeiro e fevereiro deste ano ainda este mês. Quanto aos débitos de 2016, haverá audiência na Câmara de Mediação em Direito da Saúde da Justiça Federal com a empresa responsável pelas cirurgias pediátricas no dia 10 de março e em até 30 dias com a empresa responsável pelo fornecimento de órteses e próteses para negociar o parcelamento dos débitos.

O Ministério Público buscou garantir que os serviços de saúde, referentes a procedimentos cirúrgicos nas áreas de pediatria, ortopedia, neurologia e bucomaxilo facial, na rede municipal de saúde, continuem a ser fornecidos à população, evitando qualquer paralisação ou diminuição, em atenção ao previsto no art. 196, da Constituição Federal”, afirmou Newton Bello Neto.

A tradicional Igreja da Sé, localizada no coração de São Luís, foi palco da cantata natalina no dia 22 de dezembro de 2016, promovida pelo Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a Prefeitura de São Luís.

Mais por incrível que parece, até a data de hoje(7), segundo informações de dirigentes de corais que se apresentaram no belíssimo evento. Ainda não receberam as verbas de incentivo que foi acertado pela Secretaria de Estado da Cultura. E o que chama atenção além da falta de compromisso com esses grupos, é a desfaçatez do órgão competente ter pago apenas alguns coordenadores da cantata, deixando de lado, ou melhor dando calote nas principais estrelas do evento, que foram os corais.

O Secretário Diego Galdino, tem a obrigação de se posicionar e dar uma justificativa aos dirigentes e regentes dos corais em relação a este caso. Pois sabemos o quanto é difícil um grupo de coral se manter durante o ano, pelo simples fato de não terem nenhum tipo de incentivo por parte do poder público.