Pular para o conteúdo

Os alunos da unidade IEMA - UP São Luís, tem sido alvos constantes de furtos a celulares no interior das salas de aula. Segundo denúncias enviada para o blog, mais um caso de furto foi ocorrido no interior da sala de aula na manhã desta terça-feira(19).

De acordo com as informações, essas práticas tem sido constantes principalmente no interior das salas, enquanto os alunos saem para fazer qualquer atividade do lado de fora da sala de aula.

A maior preocupação dos país é como uma escola com segurança privada em todas as entradas da unidade, ainda acontecem esses delitos no interior do prédio. O maior receio dos país é a entrada de marginais vestidos com uniforme da escola no intuito de cometer seus crimes.

O governo do Estado deve tomar uma providência imediata, uma vez que o IEMA é o principal projeto de educação da atual gestão no setor da educação.

Mais um caso de feminicídio no Maranhão ocorreu na noite desse domingo(10) na cidade de Codó. A vítima foi morta pelo namorado com sete golpes de faca. Segundo informações policiais, Concilma Muniz de Sousa, 36 anos, foi assassinada em um bar, na avenida Maranhão.

O assassino que ainda temos que classificar como suspeito, trata-se de Francisco Pereira da Silva, que após cometer o crime fugiu.

Concilma Muniz, teve morte instantânea devido a grande quantidade de golpes que levou do criminoso.

 

A pedido do Ministério Público do Maranhão, a Justiça determinou, em 2 de maio, como medida liminar, a imediata suspensão pelo Município de Miranda do Norte de qualquer pagamento à empresa J.L. Raquel Comércio e Serviços, em razão da venda simulada de produtos à Prefeitura.

Em caso de descumprimento, foi determinado o pagamento de multa no valor de R$ 10 mil por pagamento que venha a ser realizado. A multa deverá ser paga pessoalmente pelo prefeito, Carlos Eduardo Fonseca Belfort, e ser revertida ao Fundo Estadual de Proteção e Defesa dos Direitos Difusos.

Elaborou a Ação Civil Pública a promotora de justiça Flávia Valéria Nava Silva, titular da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itapecuru-Mirim, da qual Miranda do Norte é termo judiciário. Proferiu a decisão a juíza Laysa de Jesus Paz Martins Mendes.

IRREGULARIDADES

Na ação, foi relatado que o Município de Miranda do Norte pagou, de janeiro a fevereiro de 2018, a quantia de R$ 805.873,34, referente à compra de mercadorias, sendo que não há, no Sistema de Acompanhamento Eletrônico de Contratação Pública (Sacop) do Tribunal de Contas do Estado (TCE), qualquer informação de licitação ou contrato entre a empresa e o município, bem como não foi localizada qualquer publicação de extrato de contrato entre ambos na imprensa oficial.

Também foi verificado que no cadastro do site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) a referida empresa consta como “não habilitada”, além de não existir qualquer empresa no endereço informado no CNPJ da J.L. Raquel Comércio e Serviços, inexistindo instalação comercial na localidade.

O MPMA igualmente levantou fortes indícios de pagamentos lesivos ao erário, em virtude do fornecimento fictício de mercadorias declaradas nas notas fiscais como Powerpoint, LibreOffice e Plug and Play para Microsoft Windows e Windows XP, sendo que a ferramenta LibreOffice é gratuita, podendo ser baixada livremente na internet.

Outro apontamento é a ausência de informação, na prestação de contas anual do Município de Miranda do Norte, referente a 2017, de qualquer computador como parte integrante do patrimônio municipal.

O MPMA atestou, ainda, a quantia exorbitante de outros materiais supostamente vendidos ao Município, tais como 150.500 envelopes, 5.900 pilhas e 17.400 litros de água sanitária. “A quantidade excessiva dos produtos indica simulação de vendas, o que pode ser confirmado pela ausência de procedimento licitatório e inexistência de instalações empresariais no endereço da sede da empresa, além da inabilitação junto ao órgão estadual”, afirmou, na ação, a promotora de justiça Flávia Valéria Nava Silva.

Esquema envolveria 85 pessoas, entre prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, e agentes públicos e privados

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (9) a operação Prato Feito, que tem como alvo cinco grupos suspeitos de desviar recursos da União destinados à educação em municípios dos estados de São Paulo, Paraná, Bahia e Distrito Federal.
O esquema envolveria 85 pessoas: prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e agentes públicos e privados, suspeitos de fraudar 65 contratos, que somam mais de R$ 1,6 bilhão, segundo a Controladoria Geral da União.

Nesta manhã são cumpridos 154 mandados de busca e apreensão, além de afastamentos preventivos de agentes públicos e suspensão de contratação pública com 29 empresas e seus sócios.

A investigação foi iniciada em 2015, com base em informações sobre possíveis fraudes em licitações de merenda escolar em municípios paulistas apontadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União).

Os grupos criminosos são suspeitos de atuar em 30 municípios, contatando prefeituras por meio de lobistas para direcionar licitações na área da educação, segundo os investigadores. Os recursos federais eram destinados à compra de merenda escolar, uniformes, material didático e outros serviços.

Os investigados devem responder por crimes de fraude a licitações, associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva, com penas que variam de 1 a 12 anos de prisão.

O delegado de polícia Sebastião Uchôa, reagiu a uma tentativa de assalto no início da manhã desta quarta-feira(9),  no bairro do Turu.  O fato ocorreu momento que ele(Uchôa), praticava sua caminhada matinal em companhia do seu cão. 

Dois marginais ao perceberem que a rua que o delegado transitava estava complemente deserta, se aproximaram em uma motocicleta e ao chegar perto de Uchôa, provavelmente deram voz de assalto. Imediatamente o delegado puxou de sua arma e atirou nos elementos que fugiram do local.

A ousadia estar além fronteiras, e a justiça ainda libera para o "dia das mães", quase 700 apenados no Estado. A cidade estar em toque de recolher!

Veja o vídeo

Um homem identificado como Claudio Henrique Moura Sousa, 30 anos, foi assassinado a tiros após agredir a sua própria genitora. De acordo com informações a "víima" ao chegar em sua residência promoveu um verdadeiro quebra-quebra, ao ser questionado por sua mãe, ele se voltou contra a mesma e começou agredi-la. A mesma teve que sair de casa para não apanhar mais de seu próprio filho.

Uma pessoa ainda não identificada entrou na residência após todo o episódio feito por Claudio, e efetuou vários disparos contra a vítima que não teve chances de ser conduzida a uma unidade hospitalar para receber socorro.

Os integrantes da quadrilha formada para realizar assaltos em São Luís, que por sua vez praticaram um latrocínio na noite desta última segunda-feira(23), foram apresentados pela polícia cívil após serem capturados em flagrante.

A pivô do ato cruel, Andreia Silva, que culminou no brutal assassinato do economista Fernando Tadeu Costa da Silva, 53 anos, na praia da Litoranea, se fez de santa ao ser entrevistada por uma equipe de jornalismo.

Mais como a mentira tem a perna curta, os próprios comparsas deram versões diferente a dela. Segundo relato, a imprestável Andréia teria levado a vítima para um local sem movimentação e distraído Fernando com carícias, dando tempo para que seus colegas marginais, pudessem chegar à tempo sem que a vítima percebesse e cometesse o assassinato.

Tudo indica que os marginais após o ato criminoso iriam praticar outros delitos na cidade, antes de retornar a cidade de Itapecuru Mirim.

Fernando Tadeu

Um homem, identificado como Fernando Tadeu Costa da Silva, 53 anos, foi brutalmente assassinado por uma quadrilha, na praia da Litorânea na noite de ontem(23), em São Luís.

Segundo informações, Fernando teria sido atraido por uma participante da quadrilha, identificada como Andreia da Silva Ferreira, de 23 anos que marcou encontro com a vítima na praia.

Ao chegar no local combinado com a criminosa, a vítima foi surpreendida por mais três elementos que deram voz de assalto, e levaram com eles o veículo e pertences da vítima. Mas, não se contentando com o ato, os marginais em ato de pura crueldade desferiram pauladas e facadas em Fernando, que não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Em entrevista cedida a TV Mirante, Andrea se fez de coitada e disse que estava sendo assediada por Fernando, e no entanto trocaram conversas via telefone e marcaram encontro. Que "santa" hein?

Todos os bandidos já foram presos e autuados em flagrante pela polícia, são eles: Ramon Façanha Gomes, 22 anos, Glaubert Ferreira Silva, de 18 anos, Jorgeanderson Veloso Barbosa, de 22 anos, esses bandidos devem agora enfrentar a malha da justiça e com certeza serão encaminhados para a jaula.

Celiane Pereira Alves

Uma mulher identificada por Celiane Pereira Alves, de 30 anos, foi morta com uma facada na nuca, no bairro do Coroado em São Luís. De acordo com informações policiais o corpo da vítima foi encontrado na manhã desta quinta-feira (5), dentro de sua residência.

As informações dão conta que o principal suspeito desse brutal assassinato é o ex-companheiro da vítima, indetificado como Francisco das Chagas. Até o momento não se sabe a motivação desse feminicídio.

ex-companheiro da vítima, Francisco das Chagas

O corpo da vítima foi encontrado por parentes.

Uma mulher foi vítima de estupro na noite de ontem(28) após ter o seu veículo roubado por bandidos em São Luís.

De acordo com informações policiais, a vítima foi surpreendida por três vagabundos, sendo dois maiores de idade e um adolescente de apenas de 16 anos no momento, o fato ocorreu no momento em que a vítima chegava na sua residência, situada no bairro Cidade Olímpica, na capital maranhense.

Além dos marginais cometerem o roubo ainda obrigaram a mulher a ir para um matagal, localizado no bairro Cidade Olímpica, onde a abusaram sexualmente.

Os assaltantes fugiram do local do estupro deixando a mulher em seu veículo. No entanto dois deles foram capturados e presos por uma equipe do Grupo Tático Móvel do 6º Batalhão, após denúncias realizadas por testemunhas através do 190.

Um homem identificado como Carlos Augusto de Moraes Filho, de 28 anos, foi preso e levado para Plantão do bairro Cidade Operária, na capital, juntamente com o adolescente que foi apreendido.